Dicas e Receitas

Carnes para Churrasco: Conheça os Melhores Cortes

carnes para churrasco

Está em dúvida sobre quais carnes para churrasco escolher? Veja quais as melhores que existem!

Um bom churrasco depende de muitos fatores. Para alguns é necessário não só cerveja de qualidade, mas também em quantidade. Para outros é a presença dos amigos ou da família. Mas você há de concordar comigo que um de verdade precisa ter boas carnes para churrasco.

Por isso é sempre importante, acima de tudo, escolher carnes para churrasco e não qualquer corte. Quando falo carnes para churrasco, quero dizer que é preciso primeiramente saber o que é uma carne boa para churrasco. Vamos combinar que, sim, fazer um churras não é das coisas mais baratas.

Clique aqui para acessar um Curso Completo de Churrasco Argentino.

Um Churrasco Tem que Ter as Melhores Carnes

Afinal, isso é um verdadeiro evento! Mas para que esse evento seja um sucesso, nada de economizar na hora de comprar a estrela do show. Muitas pessoas acabam tentando poupar dinheiro não só na carne para churrasco, mas também no lugar onde compram a carne.

De nada adianta você comprar uma costela ou uma picanha em um açougue ruim ou de um fornecedor ruim. É como fazer a decisão certa na hora errada. Eu, por exemplo, procuro comprar sempre no mesmo lugar as carnes para os churrascos que faço.

Isso me garante qualidade, já que conheço e confio no açougueiro. Aliás, isso tem outra vantagem importante: quando se tem uma boa relação com o fornecedor, é mais fácil conseguir carne boa e barata para churrasco.

Quais as melhores carnes para churrasco?

como escolher as melhores carnes para churrasco

Acho que todo churrasqueiro experiente meio que já sabe de cabeça quais são as carnes para churrasco clássicas. Aposto que neste exato momento a imagem que vem a sua cabeça é a de uma suculenta picanha.

Sim, a picanha é, na minha opinião, a melhor carne para churrasco. Mas existem outras tão boas quanto. Que tal dar uma diversificada?

Picanha

Falar em tipos de carne para churrasco e não começar pela picanha é quase um pecado. Pelo menos em termos de carne assada na brasa e no espeto, esse corte é com certeza o mais nobre.

Apesar de ser um tipo de corte tipicamente do Brasil, seu nome tem origem italiana. Picanha vem de picatta, que era uma vara de ferro usada para picar o gado em sua região lombar, na parte posterior.

Com o passar do tempo, a carne tirada da parte posterior da região lombar do boi passou a ser chamada de picanaPicana, do espanhol, logo se transformou em “picanha”. A adoração das pessoas por esse corte fez, inclusive, com que suinocultores criassem um tipo de corte suíno chamado de picanha suína.

Arrisco-me a dizer que dente todas as carnes para churrasco, a picanha é a que mais exige cuidado na hora do preparo. Muitos assadores cometem erros básicos, que podem prejudicar o sabor final.

O primeiro deles é o tempero. Picanha tem que ser temperada só com sal grosso. No máximo uma pimenta-do-reino ou uma pasta de alho.

Outra coisa é nunca tirar a gordura da picanha. Sério, nunca cometam esse erro. Fiz isso na primeira vez que assei esse corte e me arrependi demais.

A gordura faz parte desse corte e precisa ir com ele para a churrasqueira. Outra dica interessante é selar a carne antes de assá-la.

Basta aproximá-la ao máximo do fogo, até que todos os lados percam a cor avermelhada. Depois é só subir novamente a carne e deixar a magia acontecer.

Costela

carne boa e barata para churrasco

Ah, a costela! Um churras sem uma costelinha não tem a mesma graça. Sendo de boi ou de porco, essa é, sem dúvida, uma das melhores carnes para churrasco.

Ela é mais fibrosa, o que demanda um tempo maior no espeto do que a maioria das outras carnes. Em comparação com a picanha, a costela pode ser temperada com mais do que sal grosso.

Aliás, muitas pessoas temperam a costela com molho barbecue. Essa é uma influência tipicamente americana, que não tem muito a ver com o churrasco tradicional do Brasil, principalmente o do Rio Grande do Sul. Ainda assim, essa é ideia interessante para diversificar o gosto dessa já saborosa carne.

Fraldinha

Fraldinha: churrasco. Todos concordam que um churras sem essa carne é um churras incompleto. As discordâncias aqui ficam por conta do nome.

Para alguns lugares do Brasil é fraldinha, para outros é bife do vazio ou vazio. Independente da forma como esse tipo de corte é chamado, não dá para negar que é muito saboroso.

A fraldinha é uma carne muito macia, pouco gordurosa e de longas fibras. Essa é uma das opções mais “leves” dentre as carnes para churrasco.

Normalmente é temperada como a picanha, apenas com sal grosso, do tipo médio. Você faz uma cama de sal para ela em uma vasilha e leva direto à churrasqueira.

Outra vantagem dessa carne é que ela pode ser feita no forno, para dar uma desafogada na churrasqueira. Aí convém temperar com sal, alho, limão e enrolar em papel alumínio. Como é um corte de bifes pequenos, é uma opção interessante também para ser servida no dia a dia.

Maminha

maminha e vazio

A maminha é uma das carnes para churrasco com maior concentração de gordura. Ela é macia, tenra e com muita suculência.

Tanto pode ser grelhada quanto assada na churrasqueira. Quando for servir os amigos ou os familiares, corte a maminha sempre contra as fibras, para oferecer pedaços realmente gostosos.

É interessante que sirva a maminha ao ponto, para que a carne esteja com seu melhor sabor. Aliás, se fizer a maminha na grelha, tenha muito cuidado porque ela pode passar do ponto facilmente.

Além do sabor maravilhoso, esse corte é bom por ser uma carne para churrasco barata, pelo menos em comparação com as citadas acima.

Alcatra

Quando se fala em alcatra, se fala em pelo menos duas coisas diferentes. Primeiro é preciso saber que, se você comprar a alcatra inteira, estará levando três tipos diferentes de corte: a picanha, a maminha e o miolo da alcatra.

Como você deve imaginar, a maioria das pessoas dá preferência pelos dois primeiros cortes. Saiba, contudo, que o miolo é tão bom quanto a picanha e a maminha. E eu, pelo menos, adoro o miolo.

A segunda coisa que você deve saber sobre a alcatra é que essa é uma das carnes para churrasco mais baratas que existem. Ela tem muito menos gordura que a picanha, o que a torna menos nobre e mais em conta, mas é super macia e tem bastante sabor.

É aconselhável fazê-la na grelha, temperadinha com sal e um pouquinho de alho. Tome cuidado apenas com o tempo de preparo, que é super rápido, entre quinze a vinte minutos.

Filé mignon

O filé mignon é aquele pedaço de carne tão nobre que não costuma se misturar com os outros no churrasco. Sim, você raramente deve ter visto esse corte em alguma churrasqueira.

Pelo menos não do jeito que você costuma ver as outras carnes. O churrasqueiro que opta por assar o filé mignon precisa ter muita habilidade.

Esse tipo de carne é pouco usado no churrasco porque praticamente não tem gordura. Dessa forma, é muito fácil que ele fique duro ou que perca seu sabor característico.

Uma alternativa, que eu particularmente adoro, é fazer espetinhos menores com filé mignon, com salsichão, com cebola e com pimentão. Fica uma delícia, pois a carne fica suculenta, macia e com o sabor característico dela.

Contrafilé

O contrafilé é ideal para quem aprecia uma boa carne mal passada. Aliás, é assim que você deve servir esse tipo de corte para que ele se mantenha suculento, macio e saboroso.

No máximo, se não for fã de uma carne pingando, sirva ao ponto. Do contrário, a carne vai ficar seca. Você pode servir a peça inteira ou em bifes, como achar melhor.

Também chamado de filé curto ou de lombo desossado, o contrafilé costuma ser bem barato. É uma opção super satisfatória para aqueles dias em que você está um pouco apertado de grana e não pode se dar ao luxo de ter uma picanha.

Se o contrafilé ainda não lhe convenceu, saiba que nossos hermanos uruguaios e argentinos são apreciadores inveterados desse tipo de corte. E, como todos sabem, eles são bons conhecedores de carne.

Cupim

O cupim é uma carne que pouco se vê em churrascos caseiros. Acredito que isso é mais pelo fato de esse tipo de corte demorar para ficar pronto em relação aos demais.

Eu mesma raramente faço o cupim em meus churrascos. Apesar disso, o sabor dessa carne é maravilhoso e muito particular.

Por ser uma peça grande, fibrosa e grossa, alguns churrasqueiros envolvem-na em papel celofane para que o calor da churrasqueira asse-a por completo. Um grande erro é tentar amaciar a carne como se fosse um bife de alcatra ou outro corte utilizado na cozinha do dia a dia.

Carnes para churrasco complementares

salsichão e outros acompanhamentos

Você já sabe quais são os melhores e mais populares pedaços e cortes de carnes para churrasco. Se você, assim como eu, gosta de uma experiência completa em termos de sabores, sabe que ainda faltam alguns complementos em termos de carne.

Antes de qualquer coisa, vamos concordar que há dois tipos de churrasco. Há aquele que você faz mais pela companhia de dois ou três amigos, com um ou dois pedaços de carne e talvez uma saladinha.

Esse é para aqueles dias de pouco dinheiro no bolso ou quando você apenas quer assar uma carne e matar a vontade.

Mas há o segundo tipo de churrasco, esse mais completo, que tem salada, acompanhamentos, cerveja boa para churrasco, aperitivos e carne de primeira. Os aperitivos, tão apreciados quanto o prato principal, não podem ser esquecidos.

Falo do coraçãozinho de galinha, de um galeto e do salsichão. Além disso, há outros tipos de carne que vão bem em um churrasco, como um filé de peixe ou um lombo de porco assado.

Coração de Galinha

Coração de galinha é aquele aperitivo que ou as pessoas amam ou odeiam. Mesmo quem adora churrasco pode não se sentir muito à vontade comendo essa parte da galinha. Eu particularmente só consigo comer assado. Frito ou cozido não tem o mesmo sabor.

O segredo de um bom coração de galinha assado é o tempero e o tempo que ele fica no fogo. Tem que ser no ponto ou mais para bem passado, senão fica borrachudo.

Há quem prefira temperar só com sal grosso. Eu gosto muito de deixar os corações marinando de um dia para o outro. Uso limão, mostarda, vinagre e bastante alho.

Salsichão ou linguíça calabresa

O salsichão é um dos meus aperitivos favoritos. Dá para assar salsichão de frango, de porco, como você preferir. Em termos de tempero, não é necessário exagerar. Se quiser um sabor mais apimentado, pode trocar esse aperitivo por uma linguíça calabresa.

Galeto

Normalmente em churrascos caseiros o pessoal acaba deixando de lado o galeto. Aliás, tem muito disso aqui no Sul: ou é churrasco ou é galeto.

Mas claro que dá para ter as duas coisas ao mesmo tempo. Você pode escolher fazer a asa, a coxa, a sobrecoxa ou todas essas opções juntas. O importante é fazer uma boa marinada com os pedaços do frango antes de levar à churrasqueira.

Lombinho de porco

como fazer lombinho de porco

O lombinho de porco não é exatamente um aperitivo. Essa carne, inclusive, aparece junto às principais carnes para churrasco em muitos rodízios por aí. Da mesma forma que você marina os corações de galinha e o galeto, vale a pena marina o lombo.

Esse é um tipo de corte suíno que fica mais macio e suculento se for marinado de um dia para o outro. Você pode marinar com limão, com alho, com cebola, com alho-poró e um pouco de cerveja preta.

Colocar molho barbecue por cima do lombinho de porco pode deixar o gosto ainda melhor! No dia seguinte é só assar e saborear.

Filé de peixe

Por fim, o filé de peixe. Confesso que não costumo fazer peixe nos meus churrascos, mas sei que fica super bom. Uma sugestão é fazer espetinhos, exatamente como sugeri com o filé mignon. Nesse caso, use filé de badejo.

No Sul é muito comum assar tainha na brasa. Esse é um dos melhores peixes para se fazer em um churrasco. Bastar tirar as vísceras e assar, com escamas e tudo.

 

 

 

Crédito das imagens: Freepik e Pxhere