Galeto: origens, receitas e modos de preparo

galeto

Fazer um galeto com polenta pode ser uma excelente alternativa ao churrasco para quem quer economizar

Galeto é uma coisa que sempre me lembra infância. Ainda mais eu, que tenho um pezinho aqui, outro na Alemanha e outro na Itália.

Se você está se perguntando o que é galeto, veio ao site certo. Neste texto vamos contar a origem desta forma de assar o frango, como fazê-la em sua casa e muito mais.

Os amantes do churrasco sabem que fazer carne todas as semanas pode ficar bem caro. Por isso, muitas vezes a alternativa está em mudar o tipo de carne, em vez de cancelar o churrasco.

Principalmente quando o evento é para muita gente. Juntou amigos, família e agregados? Não precisa encher todo mundo só de pão com alho e linguiça para não gastar 300 reais em picanha.

Pôr um franguinho no espeto muda tudo. Se bem feito, o sabor fica especial e seus convidados vão se apaixonar pelo galeto.

Mas o galeto não é a mesma coisa que um churrasco, atenção! Quem pensa isso é porque ainda não sabe a origem de um bom galeto.

frango assado

Origem galeto

O galeto surgiu no sul do Brasil, minha terrinha, na época da colonização italiana, em meados do século XIX. Era comum ver os imigrantes preparando passarinhadas em dias de festa.

Sim, é isso mesmo que você está pensando. Eles caçavam e comiam passarinhos. Se você acha isso estranho, nunca mais coma codorna.

Naquela época o Brasil ainda não tinha leis ambientais, então a festa da caça rolava solta. Porém, como tudo que é bom dura pouco, as passarinhadas eventualmente foram proibidas, a fim de preservar a fauna e a flora do sul do país.

Com isso, só restava comer galinha, que era barata e uma ave de fácil criação e reprodução. Engordar um pintinho até ele virar um galeto, um frango jovem e gordo, levava em média 90 dias.

Isso facilitava o processo e tornava-o muito mais barato para os recém-chegados. Convém só ressaltar que o frango do galeto é uma galinha pequena, ainda jovem. Geralmente um galeto pesa até 800 gramas.

É daí que surgiu o costume de colocar o frango para assar na brasa ou no fogo. Os italianos tiveram de adaptar-se às outras comidas por aqui, o que também acabou por resultar nos outros ingredientes que compõem os acompanhamentos do galeto.

Hoje em dia, existem várias formas de galeto: com o frango inteiro na brasa, em máquina, com polenta, ao primo canto e assim vai.

E a sopa de capeletti?

A única certeza que se pode ter é que, se a pessoa estiver no sul e for a uma galeteria, a entrada sempre será o famoso capeletti. A sopa de capeletti é outro clássico da culinária italiana remanescente da Serra Gaúcha.

A massinha, criada no norte da Itália pela metade do século XII, tem um formato engraçado que parece um chapéu. Por isso o nome capeletti, que remete a “capellos”, os chapéus medievais utilizados na época, na cidade de Emília-Romanha, em Bolonha.

Engana-se quem pensa que capeletti é o mesmo que agnoline. Somente o primeiro tem o formato do chapéu.

Sem contar que, das massas recheadas italianas, é a única que leva apenas carne e nenhum queijo. A sopa leva a massinha que dá o nome, cebola, batata, cenoura e frango. Sim, os italianos amam frango!

Antigamente, reza a lenda, que eles utilizavam a galinha que sobrava do galeto para fazer essa sopa. Não há confirmações em livros de história ou na internet sobre isso.

churrasco de frango

Frango assado na brasa

O galeto é um prato muito especial e que deve ser preparado com um dia de antecedência. Eu digo isso por causa da forma como temperar frango.

É preciso que ele fique de molho em uma espécie de salmoura ou marinado, para incorporar os sabores. Primeiro, o frango é limpo, separado e se faz um corte longitudinal, para que o tempero entre na carne com mais facilidade.

Depois, é feito o tempero. Cada pessoa tem o seu tempero. Aliás, cada região do Brasil tem a sua forma de fazer galeto, que em outros Estados pode ser conhecido como frango assado na brasa.

Pode não ser exatamente a mesma coisa, mas é uma variação muito gostosa do prato. Mas voltando ao tempero, a minha avó faz um maravilhoso e não seria justo não dividir com vocês. Ela marina a galinha crua em vinha d’alhos. E o que é marinar, ou marinar frango nesse caso?

Basicamente o que ela faz é separar saquinhos, daqueles que usamos para congelar carne, e enchê-los com uma mistura que tem: sal, pimenta-do-reino branca moída, alho, vinho branco, sálvia, alecrim, manjerona, salsa e cebolinha, tudo fresco.

Depois ela joga lá dentro os pedaços do frango, sacode bem e deixa na geladeira de um dia para o outro. Em São Paulo, já vi muita gente colocando o frango para marinar em uma espécie de vinagrete. Também é válido.

Temperar somente com sal e limão fica ótimo também, para quem tem problema com os outros condimentos. Depois, é espetar o frango ou espalhar seus pedaços em uma grelha e está aberto o galeto.

macarronada

Acompanhamentos para galeto

Além da clássica entrada de capeletti, o galeto normalmente é servido com macarronada, molhos, polenta assada ou frita, salada de maionese e salada de radiche. Para quem não sabe, o radiche é uma folha verde escura muitíssimo amarga, daquelas que amarra a boca.

Os descendentes de italianos por aqui gostam muito. Como é forte, o jeito é servir com bacon frito e cebolinha dourada.

A polenta, para mim, é um dos pontos fortes de um dia de galeto. Sem ela, o galeto não é um evento.

Pode ser polenta mole, angu, polenta frita, do jeito que for, mas tem que estar presente na mesa. A salada de batata varia conforme a família e a tradição.

Como os ingredientes todos do galeto são pesados, comida de inverno, como diz meu pai, lá em casa optamos pela versão mais simples da salada.

Melhor frango para galeto

Muitos irão dizer que não existe um melhor frango para fazer galeto. Mentira! O melhor frango é aquele caipira, criado solto e alimentado com milho.

Aliás, o melhor mesmo é que se usa para fazer galeto al primo canto. A expressão, do italiano, quer dizer a partir do primeiro canto. É quando se usa a galinha mais jovem para fazer galeto assado.

Essa galinha jovem é a mais favorável para ir para o espeto. Sua carne é mais suculenta e os temperos aderem melhor.

Os pedaços também são menores, facilitando o trabalho do assador na hora de pôr tudo no espeto. Agora, você pode me perguntar onde comprar frango para galeto?

O melhor lugar é no seu açougue de confiança. A galinha que vai para a brasa deve ser assada lentamente, senão fica crua por dentro e torrada por fora.

Então convém ser uma carne que não foi congelada e descongelada, por exemplo. Também é ideal que seja proveniente de um animal que contenha um pouco mais de gordura que o habitual, para que a pele fique crocante e estaladiça.

E apesar de o galeto ser assado de forma diferente que o churrasco tradicional, você não precisa de um churrasqueira para galeto específica. Pode assar seu frango na brasa em churrasqueira elétrica, portátil ou convencional.

Ah, uma dica: jamais, em hipótese alguma, lave o frango em água antes de cozinhar. Muitos sites e receitas mandam fazer isso.

No entanto, essa prática é perigosa para a sua saúde e pode fazer com que você ou sua família contraiam bactérias indesejadas.

galeto al primo canto

Frango galeto – receita sem churrasqueira

O bom do galeto é que ele é mais fácil de ser simulado em casa no forno. Ou seja, sem usar uma churrasqueira.

Isso é uma vantagem, pois nem todo mundo tem o equipamentou ou as pessoas têm preguiça de sujar tudo para fazer uma porção para poucas pessoas.

Pensando nisso, eu separei uma receita super simples e fácil para fazer um galeto assado no forno em menos de uma hora. Rende para seis pessoas, se ninguém for muito esfomeado.

Ingredientes:

  • Um frango aberto;
  • Uma xícara de chá de vinho branco seco;
  • Meia xícara de chá de vinagre;
  • Três dentes de alho bem picados;
  • Uma cebola média picada;
  • Três colheres sopa de cheiro-verde picado;
  • Uma folha de louro;
  • Um galho de hortelã;
  • Uma colher de sopa de colorau;
  • Sal a gosto;
  • Pimenta-do-reino a gosto.

Modo de preparo:

É muito simples. Primeiro, bata no liquidificador o vinho, o vinagre, o alho, a cebola, o cheiro-verde, o louro, as folhas de hortelã, o colorau, o sal e a pimenta-do-reino.

Depois despeje a mistura sobre o frango e deixe marinar por pelo menos dez minutos. Se puder, deixe marinar em uma refratária de vidro coberta com plástico filme de um dia para outro na geladeira.

Quando estiver suficientemente marinado, retire o excesso de tempero do frango e leve para assar no forno em fogo médio, cerca de 180 ºC. Não se esqueça de preaquecer o forno primeiro. Se tiver churrasqueira, pode colocar o frango em uma grelha na brasa. Asse até que esteja dourado.

 

 

 

 

Crédito das imagens: FreepikFlickr, PexelsPxHere e Wikimedia Commons

Fontes: Wikipedia, GNT

Presentes para todas as ocasiões